Um papo sobre ecologia, economia e diversidade!

No ano passado, nós participamos de um bate-papo com a Guide Investimentos sobre a temática de sustentabilidade dentro das empresas. Agora que o ano começou pra valer, vamos relembrar?


Além de falar sobre projetos, política de resíduos e cadeia de produção, é preciso compreender que atitudes sustentáveis extrapolam esses pontos - que são cruciais e também serão abordados aqui. Mas, para começar essa conversa, quero que tenham em mente que empresas mais sustentáveis pressupõe falarmos, principalmente, sobre ecologia, economia e diversidade.


Se você quiser, pode conferir o bate-papo completo no Instagram da Guide.


A Moetá vem desenvolvendo um trabalho de mudança de perspectiva, isto é, uma forma de recontar, de forma sedutora e eficiente, o papel da ecologia na vida das pessoas. E isso significa olhar para dentro e fora das organizações nas quais estamos inseridos, compreendendo cada contexto e propondo soluções que visam reconectar, engajar e facilitar os processos de sustentabilidade em todos os âmbitos.


Dentro disso, nós passamos a atuar como catalisadores dentro da primeira (e uma das mais importantes) fases desse processo: a fase de reconhecimento. Reconhecer a existência de uma crise e reconhecer a si mesmo dentro do processo de mudança, é crucial para que qualquer projeto tenha o engajamento necessário para alcançar resultados, principalmente, quando falamos de projetos ligados à ação climática, ambiental e sustentável.


A crise da degradação ambiental, do clima e da biodiversidade, são apenas algumas das inúmeras crises que estamos vivendo nos dias de hoje, que envolvem crises sociais, estruturais, ambientais e econômicas. Portanto, no meio disso tudo, como as empresas podem ser mais sustentáveis e eficazes? Quais as ações internas e externas podem tomar para, de fato, fazerem a diferença e mudarem seu papel?


Vamos refletir!


Nos últimos anos, a temática da sustentabilidade e da responsabilidade ambiental ganhou muita relevância, inclusive por parte dos investidores, que passaram a colocar o tema dentro de sua balança de prioridades. Isso acontece em meio a percepção de que as consequências da crise climática, da devastação ambiental e da desconexão da sociedade com a natureza, afeta a todos - em diferentes níveis e escalas. Afinal, como sempre falamos por aqui, estamos todos interconectados e fazemos parte do mesmo planeta!


Por isso, não tem como olhar para o momento que estamos vivendo sem falar do desequilíbrio socioambiental. E, devido ao grande peso que possuem na estrutura da nossa sociedade, é preciso falar da importância das empresas nesse processo. A mudança de atuação de todos os setores torna-se fundamental, pois sem elas a conta não fecha!


Toda ação tem uma reação.


Quando falamos em Ecologia, estamos falando sobre o entendimento da natureza, de seu funcionamento e seus princípios. Tudo é natureza. Tudo o que consumimos e produzimos é natureza - afinal, tudo é feito a partir de seus recursos. E se tudo é feito com recursos naturais (inclusive esse notebook através do qual escrevo para vocês nesse momento), isso faz com que tenhamos uma responsabilidade muito maior de consumo e, principalmente, de produção.


Já ouviu a frase que diz "toda ação tem uma reação", pois bem, isso é natureza levada ao pé da letra. Todas as nossas ações geram consequências, e a grande maioria delas trouxe malefícios e desequilíbrios para o ecossistema (no qual estamos inseridos). A natureza coloca uma reação de mesma intensidade para retomar seu equilíbrio, produzindo efeitos que, visando regularizar o funcionamento da Terra, podem ter grande impacto social e econômico. Sem o bom funcionamento dos sistemas que fazem o nosso planeta girar, nem mesmo nós estaríamos aqui!


De braços dados com a polinização.


Quando falamos em Economia, estamos falando da gestão do planeta. E como podemos fazer a gestão do planeta e seus recursos, sem compreender seu funcionamento?

A economia, mais do que nunca, precisa conhecer profundamente aquilo que busca gerir, se aliando à ecologia para pensar estratégias que façam de fato sentido e sejam eficazes em curto, médio e longo prazo.


A natureza é uma das maiores provas dos enormes ganhos (inclusive financeiros) que podemos obter com posturas sustentáveis. Se pararmos para pensar nos serviços que a natureza presta para nós, como a polinização, sairíamos de braços dados com ela! Afinal, de forma equilibrada, estratégica e utilizando recursos disponíveis de forma sustentável, ela garante toda a nossa alimentação e, por si só, gera milhões.


Muitas empresas deixam de olhar para isso no presente, visando o lucro imediato. Esperam por um futuro onde elas mesmas serão prejudicadas pela falta de recursos, pelas consequências de suas ações e por não levar em consideração aquilo que de fato somos - natureza. E aqui, trago meu segundo ponto, uma urgência em encontrar uma nova dinâmica de mercado, uma economia que caminhe de mãos dadas com a ecologia.


Consciência do Processo.


O terceiro ponto é sobre o processo, na verdade, sobre a importância de conhecer muito bem as etapas da cadeia de produção. A gestão empresarial passa por muitos núcleos, que envolvem variados stakeholders, dinâmicas e procedimentos. Quando falamos, principalmente, de bens de consumo, setor agrícola e pecuário, as consequências de um não mapeamento de sua cadeia de produção são enormes.


Você e sua empresa sabem como foram extraídos os recursos utilizados na sua produção? Em que tipo de terreno? Qual atividade base foi fomentada nesse processo? Qual a ação indireta que a ausência dele está incentivando? Qual impacto estão gerando?

Ter consciência do processo é também ter responsabilidade social.


As empresas estão sendo convocadas, cada vez mais, a se responsabilizar pelo processo. Olhar para a cadeia produtiva que estão alimentando e a forma com a qual esses recursos estão sendo extraídos; conhecer seus stakeholders e as dinâmicas envolvidas em todas as etapas - mesmo aquelas operacionalizadas por terceiros; e, por fim, compreender como influenciar cada uma delas. É hora de olhar para o todo e não só para o resultado final. Em outras palavras, ter responsabilidade pelo seu próprio ecossistema.


Um olho no presente e outro no futuro.


Vivemos um período em que o mundo todo está voltando seus olhos para as temáticas ambientais e sustentáveis, em busca de soluções para mitigar as consequências e frear o avanço da crise que é uma das maiores da nossa geração e das que virão a seguir. Uma mudança de postura que impacta diretamente o potencial de produção, lucratividade e sobrevivência das empresas no médio e longo prazo. Tornando, inclusive, do ponto de vista de mercado, urgente a adoção de medidas sustentáveis verdadeiras, a fim de garantir o futuro e atrair os olhares dos investidores que garantem sua sobrevivência no presente.

É um olho no presente e outro no futuro.


Soluções diversas para problemas diversos.


Empresas são uma representação da sociedade - ou pelo menos é o que deveriam ser. São o espelho de uma sociedade diversa por natureza, que deve ser reproduzida em suas estruturas. A diversidade é inerente, e assim como para a própria natureza em seu funcionamento, ela é crucial para a resolução de problemas com resiliência e amplitude de soluções.


A representatividade é indispensável para que as organizações sejam, de fato, aquilo que a sociedade é, e estejam preparadas para desempenhar seu papel. A falta de diversidade traz para todo o tipo de organização uma visão limitada, afinal, são as mesmas soluções e visões de mundo para problemas distintos - o que as torna ineficazes. Já uma empresa diversa, traz visões e soluções diversas para problemas diversos. Por isso, é impossível falar em sustentabilidade e uma nova dinâmica de mercado que não leve em conta o lugar de destaque que a diversidade ocupa para a mudança.


É também uma questão de trabalho interno!


Uma empresa é feita por pessoas e para pessoas. Portanto, o ser humano torna-se uma peça chave dentro de qualquer mudança de comportamento, seja ela interna ou externa à organização. Vivemos novos tempos, tempos em que as prioridades e a produção de valor se transformam a cada dia. As pessoas não são apenas engrenagens, elas são a alma de qualquer negócio - a mudança começa por elas!


Na próxima semana, vamos falar sobre ações práticas. Sobre como as empresas podem ser mais sustentáveis e qual o papel do engajamento dos funcionários dentro desse processo.


Até lá!



Foto: © Carola Becker/Sepia Fotografie


39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
CONTATO
  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2020 por Moetá Consultoria Ambiental LTDA. Todos os direitos reservados.