• Moetá

Se inspirando na natureza para recontar a sua carreira!

No dia 24/11, a Moetá participou do Dia do Profissional do Clima (#DCP2020), uma iniciativa organizada pelo nosso parceiro, Youth Climate Leaders (YCL), que reuniu muita gente boa, conteúdos incríveis e informação de qualidade. Foi um dia inteiro de programação gratuita e online! Se você não viu, ainda dá tempo de conferir clicando aqui.


E nós, que sempre olhamos para a natureza como uma grande escola e parceira de jornada, falamos um pouco sobre como podemos nos inspirar nela dentro das carreiras climáticas, carreiras que são extremamente desafiadoras nos dias de hoje e que pedem uma dose extra de equilíbrio e autoconhecimento. O vídeo da palestra na íntegra você confere no nosso canal do YouTube.


Antes de você ir lá, vamos falar sobre como podemos utilizar a natureza como espelho dentro de qualquer carreira - seja ela relacionada à mudança climática ou não?


Em primeiro lugar, quando falamos em carreiras climáticas e o enfrentamento aos problemas decorrentes da crise climática e da devastação ambiental, podemos dizer que é quase impossível entendê-las sem nos conectarmos de alguma forma com a natureza e sem observarmos o seu funcionamento. Mas, como aqui eu disse que todos poderiam tirar ensinamentos, independente do caminho que estão seguindo, existem três pilares fundamentais que devemos ter em mente na nossa trajetória: estratégia, constância e equilíbrio.


Ao contrário do que você está pensando agora, esses três pilares não foram desenvolvidos por nenhuma consultoria de performance e mentoria profissional, mas sim pela própria natureza. São esses os três princípios que podemos nos basear olhando para os sistemas Terra (litosfera, atmosfera, hidrosfera, biosfera - para ter essa mini aula de geografia, corre lá no vídeo da palestra!) Esses sistemas, que são independentes em sua atuação e interconectados para que possam atingir seu objetivo principal que é manter o planeta funcionando, funcionam baseados nesses três pontos e dessa forma são capazes de resolver todos os problemas, simples ou complexos, desse planeta que carinhosamente chamamos de casa!


Bom, eles não diferem em nada dos sistemas que regem as diversas áreas da nossa vida. Afinal, somos natureza e somos formados do que ela é formada. Simples assim.


Tudo bem. Agora, vou te explicar o que cada um deles significa e, lembrem-se, qualquer semelhança com a sua realidade não é mera coincidência! ;)


Estratégia: essa é aquela palavrinha mágica que ouvimos muito, mas na realidade entendemos muito pouco como fazer de uma maneira eficaz - e aqui, por eficaz, entenda com alinhamento pessoal. Estratégia é aquilo que precisamos para traçar nossos objetivos e planos, propor ideias e soluções criativas, visando alcançar nosso objetivos. Em resumo, ela é o nosso método.


Apesar da palavra em si ser de cunho militar, a natureza é profundamente estratégica, afinal, ela desempenha atividades minuciosas e precisas, fruto de milhares de anos de experiência e um conhecimento profundo sobre seu ambiente, ferramentas disponíveis, ciclos, limites e necessidades. A natureza coloca em prática o autoconhecimento puro.


E isso nos ensina duas coisas muito importantes: a primeira delas é sobre autoconhecimento - precisamos nos conhecer bem! Saber do que gostamos, quais os nossos limites, como funcionamos, o que desejamos; tudo isso nos leva a fazer escolhas mais conscientes e alinhadas. Em outras palavras, conhecer aquilo que nos atrai, nos faz caminhar com ânimo (com alma).


E por quê isso é importante? Essa é uma forma de criarmos estratégias melhores, que tenham mais a ver com o nosso processo, com o nosso estilo de vida, com quem nós somos e, portanto, mais fáceis de executar. Quando fazemos escolhas com base naquilo que verdadeiramente sabemos sobre nós mesmo, fica muito mais fácil manter a constância, atingir um equilíbrio, passar pelo processo com mais prazer e alcançar nossos objetivos. Agora você entendeu, né?!


E, por fim, a segunda coisa é sobre traçar estratégias. Tracem estratégias! Tenham em mente aquilo que vocês querem ou buscam, e não importa se você tem clareza do destino, de onde você quer chegar ou do tipo de experiência e característica que você busca nesse caminho; o importante é ter isso em mente para que possa usar do autoconhecimento para montar o melhor plano e a melhor estratégia para chegar nesses espaços. Estratégias são métodos, mas também são bússolas.



Constância: na prática, é sobre aquilo que muitas vezes temos dificuldade de manter, mas não por falta de força de vontade ou de tempo (esse é um erro muito comum de associação), mas sim por não levarmos em consideração nossos limites, momentos de vida, ciclos naturais e aquilo que realmente somos e desejamos. Então, constância é sobre ritmo e respeito aos ciclos.


A natureza é constante em seu ritmo, o que é fundamental para o funcionamento do planeta. Já imaginou se um belo dia ela acordasse e decidisse que não faria a transição do inverno para a primavera? Que caos! Ela respeita profundamente seus momentos de recolhimento e exaltação, sabendo que essa alternância é fundamental para que tudo flua e se renove. A revisão e o recolhimento do outono/inverno, são fundamentais para a renovação e a expansão que chegam com a primavera/verão. (E aqui, vale um adendo importante: quando devastamos, interrompemos o ciclo e ritmo natural no qual ela opera, desequilibrando os sistemas nos quais nós mesmos estamos inseridos e dos quais dependemos para sobreviver.)


Portanto, escolhas que proporcionem estratégias mais alinhadas conosco, além de ajudar na manutenção do ritmo - pois fazem mais sentido com aquilo que gostamos e com o nosso momento de vida, evitam rupturas e desequilíbrios dentro do nosso sistema individual. Conhecer e respeitar os nossos próprios ciclos, nossos desafios, períodos de recolhimento e expansão, produtividade e descanso, são cruciais para o sucesso da nossa estratégia. Lembre-se, a constância é aquilo que vai nos levar aos próximos passos, à um lugar de presença e identidade dentro de nossas carreiras e escolhas.



Equilíbrio: é aquilo que precisamos sempre buscar. Mas, talvez, estejamos encarando ele do jeito errado!


A natureza busca sempre seu equilíbrio, em todas as suas ações, só que assim como no nosso dia a dia os desequilíbrios ocorrem por diferentes razões. Quando esses desequilíbrios (ou desafios) acontecem, eles sempre têm como objetivo final promover uma ação que leve a retomada do estado desejado. Esse estado pode ser aquele em que o meio se encontrava anteriormente, ou um estado diferente, trazendo alguma mudança necessária para seu funcionamento. De uma forma ou de outra, esses desequilíbrios ou desafios sempre aparecem a fim de resolver problemas existentes ou ocasionar transformações - nos ensinando sobre resiliência e abertura para mudanças.


Você deve estar se perguntando: o que isso tem a ver com equilíbrio? Bom, tudo a ver! Quando atuamos respeitando nossos limites, nossos ciclos e buscando trazer para nossa rotina e profissão aquilo que somos em essência, nos tornamos mais resilientes e preparados para encarar os desafios naturais de todas as carreiras (e da vida!). Equilíbrio também tem a ver com aceitar nossas diferentes fases sem resistência, com olhar para os desequilíbrios como aprendizados que nos trazem para mais perto do nosso centro e não ao contrário.


Mais um pouquinho, para refletir!


Não somos só nós (seres humanos-natureza) que temos ciclos, nossas carreiras, sejam elas climáticas ou não, também têm. Carreiras fluem naturalmente de forma não linear - ao contrário do que pensamos ou gostaríamos de pensar; e é exatamente essa não linearidade que garante nosso crescimento, aprendizados, mudanças de atuação e muito mais. Por isso, crie um novo olhar sobre fases de transição, recomeços, revisões, estabilidade e até sobre seu crescimento profissional, são todas etapas de grande valor, aprendizado e que nos dão a oportunidade de tomar novas decisões, mais alinhadas com aquilo que somos.


Não se compare com os outros. Cada um de nós é um pequeno sistema independente (que atua em conjunto com outros sistemas de forma interconectada), não apenas somos diferentes em gostos, características, potenciais e desafios; temos funcionamentos diferentes. Por isso, se compare apenas com você mesmo - seu eu de ontem, de hoje e de amanhã.


Dê foco no seu ciclo e no seu ritmo, conheça profundamente suas prioridades, seus dons, suas limitações e como gostaria de viver. Se conheça, ninguém pode fazer isso por você! Saiba o que você gosta, pois só colocamos movimento real naquilo que nos conectamos emocionalmente.


Deixe de lado a ansiedade pelos resultados - e eu sei o quanto isso pode ser desafiador! Mas é fundamental lembrar, principalmente dentro das carreiras climática, que possivelmente não seremos nós que veremos os resultados das nossas ações. Trabalhamos com as sementes que serão deixadas para o futuro colher! E isso se aplica para muitas outras frentes de atuação, sejam elas na área ambiental, social, humana ou qualquer outra que busque a promoção da mudança. Além disso, tira o foco do resultado, trazendo o foco para o que realmente importa: o processo.


Se inspire na natureza para recontar a história da sua carreira! #NaturezaGostosaDemais


Para conferir conferir essas e outras dicas que surgiram no nosso bate-papo sobre “Carreiras Climáticas: se inspirando na natureza”, clique aqui e acesse o vídeo completo.

42 visualizações
CONTATO
  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2020 por Moetá Consultoria Ambiental LTDA. Todos os direitos reservados.